Impedir que o mundo se desfaça:

seminário especial sobre o ofício de professor

Professor: Jorge Larrosa (Universidade de Barcelona)

 

 

 

Cada generación se siente destinada a rehacer el mundo.

La mía sabe que no podrá hacerlo.

Pero su tarea es tal vez mayor.

Consiste en impedir que el mundo se deshaga.

Albert Camus.

 

 

O seminário consistirá em um exercício de leitura coletiva do livro de Jorge Larrosa "Esperando não se sabe o quê. Sobre o ofício de professor" (Belo Horizonte. Autêntica 2018). Na  primeira sessão serão entregues os materiais, se realizará uma apresentação geral e serão distribuídas as tarefas para o resto do seminário. Em cada uma das demais sessões se lerá e comentará uma das três partes do livro. 

A primeira parte do livro (Das mãos e das maneiras) transcreve um curso de mestrado ministrado em 2016 e dedicado ao ofício de professor visto a partir do ponto de vista do artesanato. Existem inúmeros livros que transcrevem cursos, mas o que costuma-se encontrar é apenas a voz do professor que os ensina, geralmente um autor reconhecido. Aqui, no entanto, o professor não é um autor, mas um leitor que dá a ler e, por isso, se citam, se comentam e se parafraseiam extensamente os textos que se trabalharam, se anotam as conversas que se produziram, se transcrevem alguns dos exercícios dos estudantes e, inclusive, se dá conta das dificuldades, das dúvidas, dos ensaios falidos, dos desacordos e dos caminhos que se ensaiaram e não levaram a lugar algum. O que teríamos aqui seria o retrato de um professor fazendo um curso sobre o ofício de professor.

A segunda parte (De elogios e elegias) refere-se a um itinerário de estudo (um exercício), que conduz a um elogio muito pessoal da sala de aula como um lugar de leitura, de escrita, de conversa e de pensamento (como lugar de estudo) justo no momento em que tudo isso está desaparecendo. Mas o texto não se limita a expor seu resultado, mas trata de mostrar em detalhes todo o processo de preparação ou, se quiserem, de exercitação: tanto os textos que li como minhas maneiras de lê-los e de tratar de compor, com eles, certo argumento. O que haveria aqui, então, seria o retrato de professor estudando o ofício de professor ou, talvez, tentando compor um curso (ou uma classe), onde a natureza desse ofício possa fazer-se presente para os demais, mas também, talvez sobretudo, para si mesmo.

A terceira parte (De incidências e coincidências) consiste em uma série de conversas que tiveram lugar ao longo de quase quatro meses de cursos e conferências por vários países da América Latina no final de 2017, nas quais o tema era, justamente, o ofício de professor. Nós poderíamos encontrar aqui o retrato de um professor na saída da classe conversando com outros professores sobre o que significa isso de ser um professor.

*