DERIVAS

Desenhar a Escola: um exercício de pensamento

     Atualmente estamos assistindo a uma certa dissolução da forma tradicional da escola. A escola, diz-se, já não é o único lugar da educação nem, talvez, o mais adequado. A escola, diz-se, se converteu num lugar anacrônico, obsoleto, desagradável e ineficaz. A aprendizagem, diz-se, transborda as fronteiras da escola e acontece em todas as partes e em qualquer momento.

     A crítica da escola se tornou um lugar comum e a educação, diz-se, se des-localizou, ficou sem lugar próprio. A educação já não está protegida pelos muros da escola porque, diz-se, há muito tempo que saltou esses muros (sem contar que a escola, ela mesma, se quer aberta e sem muros).

     A educação, diz-se, se confunde com a vida e, portanto, nada pode resistir à pedagogização geral da existência. A escola, diz-se, se confunde com o mundo, com a cidade, ou com a rede e, portanto, já não há escola, ou a escola se faz prescindível.

     E é agora, neste momento de dissolução da forma da escola, que queremos repensá-la amorosamente para reencontrar sua especificidade e sua autêntica natureza.

Para isso nos propusemos a fazer um exercício de pensamento orientado a desenhar a escola.

     Desenhar: idealizar, projetar, modelar, configurar, conformar, dar forma.

Aspectos a desenhar: espaços, tempos, materialidades, sujeitos, relações, atividades, etc...

     O projeto quer convocar educadores, artistas e outras pessoas interessadas na forma da escola para constituir um grupo de pensamento e de experimentação que tratará de desenhar a escola.

Para isso se farão coisas como: caminhar, observar, mapear, ler, conversar, propor, definir, escrever ou desenhar.

     Tudo isso com o intuito de apresentar e expor publicamente um desenho de escola durante o Seminário Internacional “Elogio da Escola” que se realizará na cidade de Florianópolis, nos dias 10 e 11 de outubro de 2016.

O exercício se realizará em três fases.

     1.Categorias e protocolos.

     Na primeira fase (categorias e protocolos) se trabalhará em sala de aula com o objetivo de definir os conceitos básicos do exercício. Também se distribuirão os traçados urbanos a serem percorridos por cada grupo nas derivas e se fixarão as tarefas a realizar (protocolos de atenção e procedimentos para as leituras e as cartografias da cidade).

Esta primeira fase se realizará nos dias 29, 30 e 31 de agosto e consistirá em 12 horas de “curso presencial” com todos os participantes.

Para cada uma das sessões será sugerida a leitura de alguns textos. Portanto, às 12 horas de “curso presencial” se somam 6 horas de “leitura e preparação”.


     2.Derivas e conversações

     Na segunda fase (derivas e conversações) os participantes farão uma deriva pela cidade de Florianópolis.

     A partir das derivas estes terão que elaborar mapas, linhas de tempo, cadernos de observação e outros materiais de trabalho.

     Durante todos os dias em que aconteçam as derivas (de 1 a 7 de setembro), abriremos um tempo de conversação para que todos os participantes possam mostrar seus materiais e trocar suas impressões e experiências. Esse tempo será de 3 horas durante cada um dos dias durante este período: 21 horas disponíveis ao total.

     Esta fase se encerrará em 8 de setembro com uma apresentação pública dos materiais elaborados durante as derivas, assim como dos “desenhos” nos quais os participantes trabalharão nas fases seguintes.

     Dessa forma esta fase se realizará entre os dias 1 e 8 de setembro e totalizará 25 horas para os trajetos, para a elaboração dos materiais, 6 horas para a apresentação pública dos primeiros “desenhos” e as horas que os participantes necessitem para as conversações, dentre as que estejam disponíveis.

     A dedicação dos participantes será em torno de 40 horas.


     3.Desenhos

 

     Na terceira fase (dispositivos e ações) os participantes elaborarão seus “desenhos” e trabalharão na forma da apresentação.

     Esta fase se realizará em três partes:

          - Uma parte de trabalho autônomo dos participantes entre 12 e 16 de setembro;

          - Uma parte de trabalho com Jorge Larrosa entre 19 e 23 de setembro; e

          - Uma parte de trabalho autônomo dos participantes entre 26 e 30 de setembro.

Jorge Larrosa. Universidade de Barcelona. Espanha.

SOBRE